Avózinha (Sim, com acento...)

Agosto 15 2011

Na 6ª feira passada, estava eu com aqueles pensamentos do género «ufa! Mais uma semanita que passou, venha lá o fim de semana», «amanhã deixo-me ficar na cama até mais tarde», etc. e tal, e dou de caras com este título nas notícias “Prepare-se: o tempo ainda vai ficar pior”. E eu aviso-vos já, «preparem-se que a escrita vai piorar, quem for sensível a asneiras/palavrões o melhor é desistir de ler este texto.

 

Dizia então a notícia, resumidamente, isto:
- chuviscos a norte e centro
- região sul, céu geralmente pouco nublado ou limpo e Faro a atingir os 31ºC
- no litoral Norte e Centro prevê-se ainda uma pequena subida da temperatura mínima.
- o tempo continua incerto mas as temperaturas altas mantêm-se

 

A primeira coisa que me ocorreu foi, «que saudade das notícias em papel, pois não posso limpar o Cu ao monitor» a segunda foi «ai Jesus Credo (sem abichanar), o que vou eu fazer  à minha vida com um tempo hostil destes (?) talvez me entretenha ler notícias de merda». Claro que a gota de água foi ao jantar, estava a dar na TV o «Gil Vicente vs Lampionagem» e um dos comentadores de serviço diz esta mais ou menos assim «estádio cheio apesar do preço alto dos bilhetes, o ministro das finanças tem aqui um bom indicador para continuar a aumentar os impostos». Haja Paciência.

 

Foda-se, mas o que é isto? Ó que caralho, mas que merda vem a ser esta? Estamos na Monção da javardice jornalística? Não aparece por cá um Katrina, ou um Kátia Vanessa, que leve estes jornalistas e principalmente, esta linha editorial. Senhores (pseudo)jornalistas, ide à merda se não vos importais. Com mil raios, trovoadas de disparates posso eu dizer/escrever, mas tenho um espaço para o efeito, o «vosso» Avózinha, agora isto...isto, isto é...concorrência desleal!?

 

Bom, eu até sou da opinião que deve haver espaço para tudo, (des)informação para todos  os gostos, mas por isso mesmo o jornalismo de interesse e que informa também deve ser considerado, se for 50% para cada lado já fico satisfeito, mas não é o que me parece. Entretanto, oxalá a malta a sul tenha conseguido ir à praia ou passear com os desagradáveis 31 graus, e os restantes mais a norte sobrevivido ao violentos pingos que possam ter caído dos ameaçadores céus nublados ou limpos...estou aqui numa ralação.

 

Inté

publicado por Avózinha às 16:40

Março 15 2010

Apesar de vivermos num mundo globalizado e as notícias circularem abundantemente é para mim um facto de que os meios de informação com apenas um terço do espaço que ocupam conseguiriam manter toda a gente a par do que se passa. Assim, os dois terços restantes têm de ser preenchidos com «palha» (para os burros), fazendo com que os jornalistas tenham de “inventar” motivos para alimentar tempo/espaço de antena.

 

Não são poucas as vezes em que constatamos este facto, através de reportagens (por exemplo) em que após uma desgraça/tragédia os intervenientes são interpelados com perguntas do género «como se sente por ter perdido a sua família?» ou «agora que perdeu todo o trabalho de uma vida, como vai ser daqui para a frente?». É claro que na maior parte das vezes a notícia ficou dada nos primeiros 30 segundos, o resto do tempo é «encher chouriços» como se costuma dizer.

 

Um exemplo de informação inútil (na minha opinião) é a notícia que li sobre Warren Buffett (WB), esta narrava que o «terceiro homem mais rico do mundo tem o salário congelado há 29 anos» e esse não ultrapassa os 100 mil dólares ano. Pior do que isso, o pobre WB ainda reembolsa a empresa (que comanda) pelas suas despesas pessoais que, imagine-se, em 2009 atingiram metade do seu rendimento, 50 mil dólares portanto.

 

Eu: Warren, como é não ser aumentado há 29 anos?
Warren: Você é um jornalista português não é?
Eu: Como adivinhou?
Warren: Just a lucky gess...mas, vai-se vivendo.
Eu: Mas conte-nos, como é possível?
Warren: Como sabe sou um bom gestor.
Eu: Mas sendo o presidente da empresa, porque não revê o seu salário.
Warren: Sabe, tenho de poupar, a minha fortuna avaliada em 47 mil milhões de dólares leva-me o dinheiro todo.
(and so on…)

 

Nada me move contra WB, nem contra os jornalistas que fazem reportagens ou escrevem coisas sem interesse algum, para não dizer sem sentido, mas que me faz um pouco de confusão faz. O segredo é tentarmos não perder muito do nosso tempo com este género de serviço, até porque ninguém é obrigado a ver/ouvir/ler, assim, quando percebo que é só «palha» vou logo pastar para outro lado...Arrrre!

 

(Fonte: Jornal de Négócios)

 

Inté

publicado por Avózinha às 21:55

pesquisar
 
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO