Avózinha (Sim, com acento...)

Outubro 17 2010

Aumento do crime e castigo no Tibete

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:18

Janeiro 27 2010

Bem sei que o pedido que vou fazer de seguida pode vir tarde demais, a minha solicitação é que leiam o título de hoje o mais pausadamente possível entre cada palavra, não quero que a pressa vos faça dizer involuntariamente coisas que não pretenderiam. A tão propalada Gripe A tem feito alguma mossa um pouco por todo o mundo, felizmente não tanto como se temeu, resta saber se foi por se terem tomado medidas de prevenção ou se a montanha pariu um rato, como diz o ditado «mais vale prevenir que remediar» e «com a saúde não se brinca», digo eu.

 

Na China, antes de eclodir este risco de pandemia, um quilo de alhos custava 7 euros, agora custa 76 euros, não resisto a fazer a piada da praxe «é de ficar com os olhos em bico» se fossem cebolas nem seria preciso as cortar para começar a chorar. O motivo desta enorme especulação é simples, os chineses acreditam que o alho, além de prevenir é também um bom remédio contra esta maleita, e assim, tenho a certeza que muitos dos que gostam de apreciar o alho na comida devem estar no mínimo um pouco chateados, eu estaria. Portanto, se até à data pensavam que a Gripe dos porcos vos veio transtornar a vida, pensem que se estivessem na China seria bem pior, pelo menos para quem gosta deste tempero.

 

Continuando o périplo pelos bens essenciais, passamos para a Vodka, mais propriamente na Rússia, onde o seu presidente Dmitry Medvedev decretou a duplicação do preço deste destilado e «desinfectante de feridas». A medida visa reduzir o alcoolismo no país, problema considerado por este uma «desgraça nacional» ou não fosse cada russo responsável pelo consumo de cerca de 18 litros de álcool puro por ano. E este valor será em média, querendo dizer que se existirão uns que até consomem menos, outros, será bom não acender um isqueiro perto deles. Não sei bem porquê lembrei-me agora do Boris, o Yeltsin.

 

Os mais cépticos dizem que estas tentativas de diminuir o consumo de álcool não irão dar em nada, no passado outras iniciativas também fracassaram, e na falta deste combustível os russos chegaram a beber perfume, já para não falar do contrabando, que sai sempre a ganhar quando alguém tenta limitar o consumo. Aqui este vosso amigo não vos sabe dizer se eles vão andar mais sóbrios, mas, mais pobres e a tresandar a perfume é bem possível. Se queres agradar a um russo ou a uma russa, oferece-lhes perfume, ambos lhe darão bom uso.

 

Já devem ter percebido que se pretendem saber cotações de produtos de primeira necessidade, aqui é o sítio certo, aliás, mesmo que não precisem de nada, aqui é sempre o sítio certo para se estar. Um espaço de muita elevação e nível cultural espectacular, sempre e só com assuntos de interesse. Hoje deu-me para a modéstia.


Vou ali plantar uns alhos para mandar para a China, ainda tenho o fracasso do meu negócio de canivetes atravessado na garganta, desta é que vai ser.

 

(Fontes: Agência Financeira e lux.pt)

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:37

Maio 12 2009

Bem sei que por cá também existem histórias parvas para me servir de inspiração, mas já que estamos na World Wide Web e para não enjoar, de quando em vez vou buscar qualquer coisa além fronteiras, de interesse pois claro. Meio milhão de cigarros é quanto os funcionários públicos da província Chinesa de Hubei estão obrigados a fumar, o progresso e o desenvolvimento económico da região assim o exige.

 

Eu explico, sendo esta região detentora de algumas marcas de tabaco nada mais natural que sejam obrigados a consumir o produto da terra, existem inclusive fiscais a verificar se existem cinzeiros com beatas de marcas de outras províncias concorrentes. Chen Nianzu, membro do sector de fiscalização do mercado de cigarros de Gong'an é peremptório «A medida irá impulsionar a economia local a partir de impostos sobre o cigarro».

 

É gente desta com fibra e sentido de estado que nos está a  fazer falta por cá, se ao menos conseguíssemos olhar para estes bons exemplos. Estou-me a lembrar por exemplo das manifestações que regularmente os nossos professores fazem, se em vez daqueles cartazes com dizeres que não assustam ninguém cada um levasse um Zé Povinho (a fazer um toma) fabricado na Bordalo Pinheiro a já antiga fábrica de faianças não estaria na situação de dificuldade em que está, e até dariam um impulso extra à economia.

 

Nós por cá nem temos industria tabaqueira com expressão (que eu saiba) mas vinho é coisa que não falta, aliás, em vez de andarem a subsidiar o arranque da vinha bem que podiam copiar os chineses. Funcionário público que se preze teria de consumir umas garrafitas por dia, a bem da criação de riqueza e do desenvolvimento da nação,  fazia-lhes bem e até ganhavam uma corzita (como dizia o meu Avô). Mas claro, Alentejano que fosse apanhado a beber um vinho do Douro, estaria à perna com o fiscal.

 

Entretanto os chineses já desistiram de obrigar os funcionários públicos a fumar, devem ter sabido que eu ia falar no assunto e tiveram medo, eles são muitos mas não me metem medo e escrevi na mesma. Lá por esses mariquinhas terem dado o dito por não dito, nós podíamos aproveitar a ideia e começar a molhar a goela da malta com pinga da boa, bem vistas as coisas andariam todos mais alegres e despreocupados e os que não andassem era por incumprimento da quota obrigatória.

 

Inté


Fevereiro 12 2009

Os que dizem que a China vive num regime fechado e segregador não sabem do que estão a falar e/ou fazem-no por desconhecimento de causa. Quando por cá ainda estamos a iniciar a discussão sobre casamentos entre homosexuais lá pelo o Oriente o tema está muito mais avançado, isto se estivermos a falar de pinguins.

 

Pois é meus caros, parece que a “febre” já chegou aos pinguins, mas também não me surprende pois aquela forma de andar é de todo suspeita e depois serem aves mas não voam, só nadam, não deixa de ser um sintoma intrigante. No fundo estas minhas palavras não pretendem ser ofensivas ou negativas para com a comunidade gay mas poderão (ou não) concordar comigo que a homosexualidade é no mínimo uma carcterística que pauta pela diferença no que concerne ao instinto da natureza. De outra forma teria de ser verdade que os bébés são entregues por cegonhas.

 

Um casal de machos (he he he) pinguins de um zoológico na China foi apanhado a roubar ovos a outros casais, não podiam conceber pelas razões óbvias e vai daí toca a raptar os futuros bébes de outros. Isto não me parece muito justo para os casais que ficavam sem a descendência garantida e assim sendo, os elementos sequestradores foram separados do grupo pois estavam a fazer má vizinhança.

 

Claro que no imediato apareceram grupos de defensores dos animais e os bichos(as) foram reeintegrados no grupo, até tiveram direito a dois ovos ”emprestados” e ao que parece são pais extremosos...é pá estou a contar-vos isto com as lágrimas nos olhos, estas histórias com fim feliz deixam-me comovido. Será que pinguim dá para fazer canja?

 

Inté


pesquisar
 
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO