Avózinha (Sim, com acento...)

Outubro 15 2008

Faz algum tempo (1 de Abril de 2008) estava a ler uma notícia sobre uma situação vivida no Hosp. de Vila Franca de Xira. Primeiro pensei que era mentira de Abril, mas depois fiquei descansado porque afinal é normal á 2ª feira...já pecebem porquê.

A notícia era:

«Uma idosa com problemas cardíacos esteve mais de oito horas na Urgência do Hospital de Vila Franca de Xira, onde a falta de médicos impediu a assistência atempada de doentes, indicaram um familiar e uma médica, refere a Lusa.

David Pereira contou que a sua sogra, de 77 anos, deu entrada na urgência hospitalar às 16:30 de segunda-feira, com problemas cardíacos, depois de ter passado pelo Serviço de Atendimento Permanente de Benavente.

«Já preenchemos quatro impressos a pedir informações e não sabemos de nada. Não sabemos se fez análises, exames, se está melhor ou pior», relatou David Pereira, acrescentando logo de seguida, citando informações posteriores de uma administrativa, que a sogra «está a ser medicada e avaliada».

Segundo David Pereira, algumas pessoas que aguardavam notícias dos seus familiares formavam «fila» para apresentar queixa no livro de reclamações.

A chefe da equipa médica da Urgência, Alice Frazão, justificou a demora no atendimento aos doentes com a falta de clínicos.

«Temos três médicos desde as 08:30 [de segunda-feira] ao serviço quando deveriam estar sete», frisou, acrescentando que às segundas-feiras é habitual haver «muitos doentes e poucos médicos».

A 03 de Março, precisamente numa segunda-feira, a Lusa foi confrontada com a grande afluência de utentes na Urgência, que levou doentes a esperarem durante várias horas assistência em macas por falta de camas nas enfermarias.

Nesse dia, de acordo com David Pereira, a sogra teve alta depois de estar 36 horas deitada numa maca.

«Deram-lhe alta porque não tinham sítio onde a meter», reclamou.»

In Portugal diário

Este tipo de notícias dispensa comentários, mas eu não resisto até porque escrever no Avózinha serve-me de terapia. Não sei se por esta altura – Outubro - ainda é habitual ás segundas feiras não ter uma resposta decente para os seres humanos que recorrem aquele serviço mas sem dúvida que o dito Hospital é pródigo nestas situações, pelo menos nos meios de comunicação não faltam ecos de casos assim e bem piores (tudo invenção jornalística)... Se por acaso a maleita de que se padece não fôr de muita gravidade, o organismo reage ou o sistema imunológico responde e os médicos não necessitam de intervir, é uma variante da medicina alternativa, eu chamar-lhe-ia alternativa (forçada) á medicina.

Posto isto, proponho que sejamos nós os utentes a organizarmo-nos (se as entidades responsáveis não o fazem alguém tem de o fazer) portanto, ás segundas feiras não pode adoecer tanta gente, temos de nos dispersar pelos outros dias da semana. E antes de pensar em recorrer a um serviço hospitalar/saúde o melhor é reflectir se é mesmo grave, efectuar uma espécie de auto-diagnóstico dispensando o médico, e se a dúvida subsistir basta pensar na maneira como vai ser tratado nas próximas horas e provalvelmente vai ver que o que está a sentir não é nada de mais...resumindo sofre-se melhor no conforto da nossa casa.

 

 

 

(Lembrei-me desta notícia ao ver outra na TV de um sujeito com antecedentes cardíacos que é enxotado pela médica do posto de saúde - não me lembro qual - que lhe diz para agarrar no carro e dirigir-se ao Hospital, chegado lá teve de ser internado e claro não morreu porque não tinha de morrer.São umas atrás das outras!) Próximo tema WC’s públicos.

Inté!

publicado por Avózinha às 23:24

Ok. Eu já tento fugir a sete pés desse dito hospital. Mas sendo assim, se precisar de lá ir, não vou à segunda-feira. Se der adio para Terça ou Quarta. Mas se tiver em consideração que muita gente leu o artigo em referência vai pensar o mesmo que eu, por isso o melhor é ir quinta ou sexta, porque arriscar ao fim-de-semana é porvavel que seja pior do que à segunda.
Está decidido.
perdida_nos a 16 de Outubro de 2008 às 14:57

Este tema para mim é tão pertinente quanto deprimente!
Estão no baú da minha memória algumas situções interessantes, outras nem tanto!
Lembro-me de uma vez q recorri a esse hospital, tendo-me sido receitado um supositorio que me deram para por logo ali na sala dos doentes. A sala dos doentes tem uma porta enorme, sempre aberta n havendo qualquer privacidade. Felizmente era inverno e o meu casaco tinha bolso, pelo q o supositorio para lá foi. Assim que me deram a receita, saí logo dali o mais depressa que pude!!!!!!!!
Paciente Impaciente a 16 de Outubro de 2008 às 22:05

Agora fiquei curioso...era inverno, casaco com bolsos (aparentemente com supositórios), receita, fuga do hospital apressada...e o que é feito do tal supositório? Tiveste o teu momento de privacidade?

Desculpa, mas estas coisas têm que ficar bem esclarecidas ;)
Pedro Silva a 17 de Outubro de 2008 às 11:44

Precisei de fazer umas reparações daquelas que só se fazem e m hospitais. Felizmente pude escolher o local e nem o pensamento passou pelo hospital de Vila Franca, Depois de bem instalada e de usufruir de tratamentos médicos, humanos , técnicos e de instalações que nem sabia que existiam, pensei em todos aqueles que a esta hora estao a abarrotar as salas de espera dos hospitais. Até nisto se confirma que nem todos nascemos livres e iguais. Gostava de poder ir buscar toda essa gente e pô-los aqui no quentinho, em salas de espera limpas e arejadas.

Pois é, de boas intenções está o inferno cheio!
Conceição a 3 de Janeiro de 2009 às 20:16

pesquisar
 
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
16
17

19
25

31


mais sobre mim
blogs SAPO