Avózinha (Sim, com acento...)

Dezembro 06 2009

Há pouco tempo tive conhecimento de uma história daquelas difíceis de acreditar, mas verdade, passou-se nos EUA e o personagem principal é um anafado Americano que podre de bêbado não se apercebeu que o corredor do hotel onde circulava, terminava ao chegar à janela. Não é pois difícil de prever o que sucedeu de seguida, como naquele dia o pobre homem não trazia azas, não conseguiu evitar a queda desde o 13ª/14º (não me lembro bem qual) andar.

 

Este, ao relatar a história na 1ª pessoa dizia-se afortunado por ter escapado com vida a esta “peripécia” e ainda por cima com poucas lesões, atendendo a queda tão aparatosa. O resultado mais certo de um despiste destes é pagar com a própria vida, mas o gringo mostrava-se agradecido a Deus pela sorte que teve, e fazia tenção de tatuar umas asas de anjo sobre uma cruz, mostrando desta forma a sua gratidão ao chefe supremo que vive sobre a camada de ozono, ou por baixo (?), sempre fui fraco em geografia...ou será astrologia?

 

Então Deus estava lá e em vez de impedir o homem de saltar deixa-o cair e depois sim, salva-o? Não terão sido os paramédicos ou o próprio estado alcoólico em que se encontrava a safá-lo da morte certa? Será que uma boa quantidade de álcool no sangue nos torna mais flutuantes e/ou resistentes ao choque? Estou num turbilhão, estas são apenas uma amostra das questões que me surgiram de imediato.

 

E o Diabo, alguém o interrogou para aferir onde estava naquela hora? Eu não ponho as mãos no fogo (fogo, he he he) por nenhum, não arrisco quem salvou ou empurrou o bezanas do Americano, que ainda por cima de tão bêbado que estava sabe lá quem o ajudou a cair ou quem ajudou a amortecer a pancada. Provavelmente deveria era tatuar a(s) marca(s) de bebidas que emborcou antes do voo.

 

É tudo uma questão de perspectiva, eu acho que este caso merecia despoletar uma investigação séria sobre os efeitos do álcool neste este tipo de acidentes, quem  sabe se no futuro poderíamos ter campanhas de prevenção do género «se beber não conduza, mas se está a pensar cair de bem alto...beba bem, e muito». Já sabemos que não se salvariam todos, mas os que não escapassem estariam tão grogues que nem dariam por nada. Sorte sorte deste americano teria sido, em vez de cair pela janela cair na cama e acordar sem ressaca, isso sim.

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:46

Bem, colocas aqui problemas muito complicados. Relacionas os benefícios/malefícios das bebidas alcoólicas, atreves-te a compará-las com as ajudas de deus e mais, duvidas se foi deus ou o diabo a interceder pelo homem.
Enfim está um verdadeiro herege!
Chego a duvidar de quem escreveu o livro "Caim" do Saramago. Se calhar tiveram alguma conversa e inspiraste-o!
Pelo sim, pelo não, devias exigir uns direitos de autor.
Quanto ao americano, tem mais sorte que juízo. Podia muito bem distribuir a sorte que teve por outras pessoas que dela precisam. Por exemplo, podia ter partido uns ossinhos, temos tantos no corpo, nem lhe fazia diferença. Ganhava uns dias de internamento, estava à vontade porque mora longe do hospital de vila franca, era bem tratado, comidinha a horas, um luxo.
Encarando noutra perspectiva, sabemos lá se a vida do homem é boa?
É que se tem uma vida desgraçada, o bom deus quis que ele continuasse a vivê-la por mais uns anos. O diabo ainda tentou empurrá-lo mas lá estava o salvador, sempre presente, a "a ajudar".
A perspectiva é uma coisa muito matreira, não nos deixa tirar conclusões definitivas. Se calhar não há conclusões definitivas!
Conceição a 9 de Dezembro de 2009 às 12:30

pesquisar
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
18
19

23
24
25
26

30
31


mais sobre mim
blogs SAPO