Avózinha (Sim, com acento...)

Novembro 15 2009

Nada me pode estragar o estado de espírito quando uma nova história de Astérix e Obélix passa a conviver com as restantes que já fazem parte da minha colecção, que orgulhosamente ostento, das aventuras destes heróis Gauleses...nada, ou quase nada. Se até estes irredutíveis têm o seu temor (que o céu lhes caia em cima da cabeça) também eu fiquei horrorizado quando ao tentar escrever numa sms Astérix e Obélix constato que ambas as palavras não fazem parte do léxico contido no dicionário do meu telemóvel.

 

Por TOUTATIS! Apressei-me a adicioná-las e de seguida deixei a indignação apoderar-se de mim, «LOL’s», smilles e outras palavras/símbolos bem menos importantes estão lá, estas, absolutamente divinas foram esquecidas, apetece-me  dizer «são loucos estes humanos». Consigo-me imaginar parte de uma cena em que estou a aplicar uns tabefes aos indivíduos que se esqueceram de incluir pelo menos estes dois nomes.

 

Aaaaaaaaahhhh (um «à» de satisfação prolongado) sinto-me tão bem, poder desfrutar de uma nova história, talvez seja igual a tomar a poção mágica, digo talvez porque nada se deve comparar ao caldo preparado por Panoramix com a sua fórmula ultra secreta. Na verdade, a minha paixão pelas aventuras dos irredutíveis Gauleses é um pouco ao estilo de Obélix, em pequeno «caí» numa das aventuras e fiquei contagiado para o resto dos meus dias...por BELENOS.

 

O pior de tudo, bom, o pior de tudo terá sido conviver com o livro durante alguns dias sem ter oportunidade de o ler. É verdade, o momento quer-se especial e contemplativo, seria impensável eu achar «tenho meia horita agora, vou aproveitar para dar uma espiada na nova história» isso nunca. Esperei pelo momento certo e no fim de semana dediquei parte de uma tarde na minha varanda, em plena luz natural saboreei mais esta aventura.

 

Não sei ao certo quantas vezes terei lido todos os números da epopeia gaulesa, mas terão sido algumas, é uma inexplicável força sobre-humana que se apodera de nós. Os dois autores/criadores destes personagens são verdadeiros druidas da arte de sonhar e fazer sonhar, eu sou pequeno demais para lhes prestar homenagem mas na minha insignificância lhes envio um obrigado do tamanho do mundo, estes sim uns verdadeiros heróis que só a mortalidade nos privará de mais aventuras.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:10

Aposto que o teu télélé é um daqueles que começa por N e acaba em A e tem OKI no meio. É que esses filhos da mãe são tramados no dicionário... Como eu compreendo essa frustração. Acontece-me o mesmo para escrever o meu próprio nome. por isso é q tlm comprado por mim é de outra marca conhecida e que estou fã.

Jocas Gordas ;o)
perdida_nos a 18 de Novembro de 2009 às 21:57

E assim ficamos a conhecer mais uma faceta do nosso grande Avozinha: o seu lado infantil!!!!!!
Caramba, já nos mostrou o seu lado masculino, agora o aeu lado infantil, será que ele não tem mesmo lado masculino?
Conceição a 25 de Novembro de 2009 às 00:35

pesquisar
 
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
20
21

22
25
27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO