Avózinha (Sim, com acento...)

Setembro 16 2009

Na China, um camponês chinês (este inicio está demais, o texto podia acabar já aqui, mas vou continuar) de 78 anos viu as suas poupanças desaparecerem. Se lhe quiserem escrever ou mandar alguma verba para o ajudar a recompor as finanças, o homem chama-se Wang Wenyou e vive na cidade de Nanan, província de Fujian, imagino que todos o conheçam por lá mas pelo sim pelo não digam que é um sujeito não muito alto e com os «olhos em bico» assim deve ser mais fácil a identificação.

 

Esta descrição que acabei de fazer diz mesmo da minha falta/ausência de carácter, como se eles fossem todos iguais, mas na verdade nunca gostei de chineses...já de chinesas gosto bastante. Mas adiante, este senhor de que vos falei, e segundo reza a notícia, conseguiu durante 4 anos juntar 200 euros no seu mealheiro que consistia em dois sacos de plástico guardados debaixo da cama.

 

Por nos últimos tempos alguns bancos estarem a falir (presumo), com medo ou não,  foi naquele sítio que Wang Wenyou achou seguro guardar o seu pecúlio, assim, quando necessitou de algum dinheiro para ajudar a pagar os estudos do neto (avós são sempre avós, na China ou em qualquer parte) deve ter sido em choque (imagino) que constatou que insectos tinham feito um banquete com as  suas notas, tendo ficado sem nada.

 

Ao bom estilo português arranjei uma «teoria da conspiração» para explicar este sucedido, mas credível pois claro, como sempre, estes insectos não são uns quaisquer, são «mercenários» super treinados e a soldo dos bancos. Com a falta de liquidez nos mercados financeiros e a necessidade extrema de os bancos captarem fundos, esta medida desesperada tem a intenção de espalhar o terror por quem é avesso a confiar as suas economias à banca.

 

É deste modo e de outros que a banca nos tenta levar à certa, ora com publicidade que dá a ideia que com meia dúzia de tostões vão deixar-nos ricos, ou então com estratagemas ainda mais baixos, pondo mosquitada e companhia no encalce das nossas poupanças. Se guardam dinheiro em casa, desconfiem sempre, uma mosca com ar de quem só quer estar a chatear ou um mosquito da fruta que aparenta apenas querer encontrar o caminho para a fruteira, são apenas exemplos de hipotéticos bandidos contratados pelos bancos e avidamente à procura das vossas notinhas...eu vou tramá-los e partir-lhes a boca toda, amealharei tudo em moedas, quero ver que bicharada mandam a seguir.

 

Inté

publicado por Avózinha às 00:10

Cheguei até este blogue através do blogue da Margarida, por isso espero que não leve a mal o comentário, mas é que não resisti! Porque hoje o dia iniciou-se dificil e este post já me fez rir. Com um sentido de homor refinado. Muito bom mesmo. E vou também desconfiar de todo o "mosquedo" que ultimamente paira lá em casa...
irmã da Margarida a 16 de Setembro de 2009 às 11:34

Em dias bons ou maus, volta sempre.
Avózinha a 16 de Setembro de 2009 às 20:25

Mas voçês não sabiam????!!!! Moscas, mosquitos, baratas e outros insectos pestilentos são não mais do que agentes infiltrados para irem às poucas poupanças. Por isso é que apenas poupo (esta tem piada, até parece que é alguma coisa de jeito) só moedas (não mais pesadas e duras de roer) e coloco uma impressão das fotos dos principais candidatos a 1º ministro destas eleições. A boa propaganda é meio caminho andado para intimidar o inimigo. O chinoca devia era ter "Fujian"do com o graveto, ou ter apostado no jogo, provavelmente teria sido mais seguro.

Jocas Gordas como eu ;o)
perdida_nos a 16 de Setembro de 2009 às 13:41

Eu não sabia destes infiltrados, ok, confesso, tenho muito dinheiro mas está todo no banco.
Avózinha a 16 de Setembro de 2009 às 20:28

pesquisar
 
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

15
18
19

21
25
26

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO