Avózinha (Sim, com acento...)

Agosto 23 2009

Acordo, como se de um sonho milenar se tratasse ou uma hibernação até mais ver, sinto um cheiro a vida que me invade os pulmões, como se o universo ali estivesse de propósito só para me acordar, a luz é especial e o suficiente para não me agredir os olhos mergulhados em sono tão profundo. Em tantos acordares por tantas vidas dispersas, este é como se fosse o primeiro, mas parece tudo tão familiar, eu já aqui estive, sinto-me em casa e no entanto nunca vivi nada igual a este despertar.
O silêncio é mesmo assim, permite-nos escutar todos os sons, oiço a vida lá fora a chamar por quem a quer ouvir, mas não tenho pressa, vou aproveitar todos os segundos e apreciar o momento, aos poucos a vontade de ir lá fora espreitar vai tomando conta do meu espirito. Reconheço todos os sons que por mim anseiam, sabem que os vou desfrutar como merecem.
Como é bom assim acordar, sentir que a vida lá fora clama, pensar que o sol se pôs a pensar em nós para nascer ainda mais glamoroso, hoje este amanhecer é dedicado a mim, vou ver porque me estão a chamar.
Cá fora, a meus pés um soalho de madeira cheio de história e agradecido pela minha presença, eu retribuo a gentileza e expresso a minha recíproca gratidão, diante do meu olhar um cenário difícil de explicar, é tudo tão real, banal mesmo, mas no entanto hoje tudo parece diferente, especial, só não é o paraíso porque este lugar é verdadeiro, existe mesmo e deixa-se tocar.
É sempre ligeiramente a descer na curta distância até à beira do enorme lago que mata a sede a toda a vida que o circunda, as arvores, os animais, as enormes montanhas à volta, todos dão algo entre si e mantêm a harmonia do local, ali todos oferecem um pouco em prol de um bem maior e os frutos estão à vista, não consigo ficar indiferente, contribuo também mas faço-o de forma despretensiosa, porque quero, porque faz todo o sentido, é o mínimo para quem é agraciado como estou a ser neste momento, um misto de felicidade e beleza.
O grande espelho à minha frente ainda parece mais belo agora que me aproximo da margem, junto à beira a profundidade é mínima e é possível ver um pouco do fundo através das suas transparentes águas, seixos e uns ramos que por ali resolveram descansar eternamente, até um grande tronco de uma outrora bem viva árvore que não muito longe resolveu repousar e abrigar um ninho feito com os juncos que à sua volta vão crescendo. É mágico este espelho, porque se olhar-mos um pouco mais para o horizonte conseguimos ver a paisagem reflectida, desde as árvores em volta até às mais altas no cume das montanhas.
O sol já nasceu mas ainda não é possível vê-lo, assim toda a terra à minha volta parece ser de tons mais escuros, lá no alto está tudo mais iluminado, as árvores ostentam uns tons ora alaranjados ora ambares variados, tudo devido à folhagem que as protege nesta altura.
O céu, quer olhando para cima quer observando o reflexo no espelho não podia estar mais azul, nem uma nuvem foi convidada e o vento, esse anda decerto ocupado por outras paragens e afazeres, o ar circula sem se dar por ele e ainda oferece alguma frescura da escuridão agora definitivamente ida.
Será que estou acordado, se não estou não quero acordar, sinto-me tão vivo, tão desperto, atento ao mais ínfimo pormenor ou movimento, sei que dentro de momentos uma invasão de vida vai tomar conta do lugar, pudera, com um convite destes é impossível resistir.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:36

És um verdadeiro poeta!! Gostei mto, é lindo...
Ainda bem q partilhaste :))
beijoquinhas
A. a 23 de Agosto de 2009 às 23:15

E porque não despertarmos para a vida, dessa forma tão intensa e tão tranquila, todos os dias? Porque nos esquecemos, constantemente, do que é essencial e acessório? Quando eu me esquecer, venho cá ler outra vez...
margarida a 23 de Agosto de 2009 às 23:57

Para mim com este post pintaste um quadro com letras.
Lindo!!!!
Muito bom mesmo.

Jocas gordas como eu ;o)
perdida_nos a 24 de Agosto de 2009 às 09:15

Hoje estás de gazeta é???? Não há nada para ninguém???? Então deixo aqui a mensagem para ficares piurso comigo.

PAAAAAAAAARRRRRRAAAAAAAAAAAAABBBBBBBBÉÉÉÉNS!!
perdida_nos a 25 de Agosto de 2009 às 17:55

Pois é, andamos sempre todos apressados e muitas vezes, muitíssimas vezes, não damos a devida atenção ao que nos rodeia.
E às vezes é mesmo muito belo.
Já cantava o outro, com aquela voz,
"And I think to myself.....
it's a wonderfull world...."

Obrigada avozinha, por nos lembrares.
mc a 31 de Agosto de 2009 às 23:19

pesquisar
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
21

24
26
28
29

31


mais sobre mim
blogs SAPO