Avózinha (Sim, com acento...)

Agosto 09 2009

O verão ainda não vai a meio e já me presenteou com um dos momentos mais inebriantes de que me lembro, sou um pobre coitado que aprendeu a fazer de poucos momentos uma interminável fartura, mesmo assim, talvez (e só talvez) tenha uma capacidade (sobre)natural de apreciar e valorizar algumas coisas que normalmente passam despercebidas. Se bem que desta vez não creio que passe assim tão despercebido a alguém.

 

Num local que não interessa, num momento que não vem ao acaso cruzei-me com o olhar mais inesquecível que alguma vez a minha alma contemplou. Não, não estou apaixonado nem nada parecido, estou “apenas” maravilhado, agradecido por ter tido a sorte de ser agraciado com tal momento passageiro mas que perdurará na minha memória enquanto o juízo não me abandonar.

 

Esta mulher olhou para mim da mesma forma que eu olhei para ela, mas regalou-me com um sorriso que jamais alguma vez conseguirei igualar, os seus olhos foram desenhados com a mesma mestria que os lábios, e aquela visão foi mais do que um rosto belo. Através daqueles olhos foi possível ver uma infinidade de coisas belas. Como que uma janela para um sítio que só encontramos no imaginário, mas que afinal existe, só temos de ter a sorte de passar por lá naquele segundo e espreitar.

 

Por muito que me esforce não consigo lembrar de mais nada seu com tanto pormenor como aquele olhar, com consciência de que o contorno do seu corpo não comprometia, mas foi tanto para admirar naquele olhar que não consegui nem queria ver mais. Tenho a certeza que já nos cruzamos numa destas vidas, porque uma cara bonita é “apenas” isso, mas aquele momento que se esgotou rapidamente foi muito mais, enquanto o ponteiro dos segundos balanceou algumas vezes, uma vida inteira se mostrava por detrás daquela figura.

 

Nunca mais vou voltar a contemplar aquele horizonte feminino, tenho plena consciência, mas aquele encontro de olhares foi isso mesmo, uma oportunidade imperdível de vislumbrar para lá do que é belo e contemplar o inexplicavelmente deslumbrante. Na música «Summer's Almost Gone» dos «The Doors» há uma parte que diz «When summer's gone, where will we be?», não sei onde estarei, mas espero estar naquela beleza que vislumbrei por detrás daqueles olhos...talvez assim não dê pelo Inverno.

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:59

Eh eh eh
Não sabes o que aquele sorriso queria dizer?
Não?
Eu explico!

Ao ver-te embasbacado a olhar, a babar, ela pensou:
O que tu queres sei eu!

E riu-se para ti!
LOLLLLLLLLLLLL
mc a 12 de Agosto de 2009 às 17:21

Nunca me deixam sonhar... :-(
Avózinha a 13 de Agosto de 2009 às 23:38

pesquisar
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
21

24
26
28
29

31


mais sobre mim
blogs SAPO