Avózinha (Sim, com acento...)

Maio 18 2009

O Avózinha nunca se esquece de lutar por uma boa causa e acima de tudo de estar sempre ao lado daquilo que é justo, combatendo a indiferença e a discriminação. Não, não estou sobre a influência de drogas nem possuído pelo síndroma do bloco de esquerda, aliás, a mim só possui quem eu bem entendo, os políticos a mim não me possuem, fodem-me mas não possuem...é mais violação e para que não restem dúvidas, não gosto.

 

Hoje vou usar mais uma palavra nova aqui neste espaço e que faz tempo que ando para inventar um assunto para a poder utilizar, «mamalhuda». Becky Willians é uma mamalhuda (Inglesa) de 26 anos, que não me vai levar a mal por a chamar assim desta forma carinhosa e distinta, iniciou um movimento «Bust 4 Justice» que luta contra a discriminação de preços que uma cadeia de lojas praticava ao sobre-taxar os sutiãs de tamanhos maiores.

 

A injustiça tinha de acabar e este movimento volumoso e de peso, ao qual me solidarizo, recolheu 10 mil assinaturas e venceu a barreira do abuso nos preços dos suportes mamários para as «grandes superfícies». Eu confesso que não sou obcecado por seios avantajados, gosto sobretudo de seios naturais e ao contrario do sexo feminino que se preocupa muito com o tamanho, acho que elas são todas abençoadas independentemente do tamanho do busto.

 

Estes ingleses às vezes saem-se com cada uma, colocar uma taxa adicional ao custo dos sutiãs para mamalhudas (outras vez) não lembra a ninguém, as “pobres coitadas” sem culpa da genética as ter abonado nesta característica estavam a ser exploradas injustamente. Pior que isso era o risco de insegurança e acidentes pessoais a que estavam a ficar expostas as «Samanthas Fox’s» lá do sítio, ou seja, aquelas a quem a gravidade atacou mais ferozmente e no seu dia a dia sem dinheiro para comprar um suporte XL, sujeitas a tropeçar num seio e a fazer algum traumatismo e/ou cair em cima de alguém. Uma criança de 5 anos que alegremente brincava, julgava que estava a jogar à bola e inocentemente nem sonhava estar a usar como esférico o seio esquerdo de sua Avó.

 

O assunto de hoje foi apenas um pretexto para duas coisas, usar a palavra «mamalhuda» e alertar que a discriminação está em todo o lado e escolhe facilmente algo para martirizar, um dia um busto feminino perto de si, outro, uma outra característica qualquer. A todos, espero que não me descriminem por escrever «mamallhuda», faço-o de forma desinibida e sem pretensões ordinárias ou achincalhantes.

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:39

Avó,

fizeste tu senão muito bem em introduzires a palavra "mamalhuda". Agora... podias por umas fotos da dita cuja, não? Quere-se dizer, eu faço umas pesquisa no Google por "mamas" e só por acaso venho parar ao teu blog, depois de percorrer 352.022.423 páginas, e depois é isto... nem uma foto.

Nada?! Nem uma mula com as mamas comprimidas debaixo de um top que gritam em unissono "Deixem-nos sair! Estamos presas aqui! Liberta-nos El-PCC! Liberta-nos! Rasga-me toda!!!"

(descoberto mais um efeito secundário após o excesso de consumo de psicotrópicos: diminuição de reflexos e capacidade de coordenação, imaginação de diálogos com mamas)

El-PCC
El-PCC a 19 de Maio de 2009 às 00:38

É pá, tenho de fazer tudo...estava a contar contigo para arranjar umas ilustrações. Como pediste, cá vai, uma vez sem exemplo hein! A líder do movimento «bust 4 justice»:
http://orange.kewego.co.uk/video/iLyROoafMZjG.html
Avózinha a 20 de Maio de 2009 às 20:47

pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15
16

22
23

24
29



mais sobre mim
blogs SAPO