Avózinha (Sim, com acento...)

Setembro 28 2011

DEUS: Avózinha, estou aqui enrascado, podes ajudar!?
AVÓZINHA: Claro! Não sou Deus, por isso podes sempre contar comigo.
DEUS: ...tens graça tens, escuta, tenho aqui um fulano do FMI...
AVÓZINHA: Então? Estás com problemas nas contas?
DEUS: Não é nada disso, não sei se o deixe entrar ou o mande para o inferno, queria a tua opinião. O que achas?
AVÓZINHA: Definitivamente, deixa-o entrar.
DEUS: Posso saber o porquê da tua apreciação?
AVÓZINHA: Sabes que eles também estão aqui, não sabes?
DEUS: Sim, sei.
AVÓZINHA: Bom, cá as opiniões divergem...
DEUS: (...???...)
AVÓZINHA: Mas muitos dizem, ainda bem que eles vieram, pois só assim se fará o que sucessivos governos foram incapazes.
DEUS: E...?
AVÓZINHA: E? Se esta teoria estiver certa, é mesmo do que a tua governação anda a precisar.
DEUS: (suspiro) Obrigadinho pela ajuda.
AVÓZINHA: Já sabes que podes sempre contar com a minha ajuda.
DEUS: Sei sei, mas olha, e se essas teorias estiverem erradas?
AVÓZINHA: Se estiverem erradas, podes começar a rezar por um milagre.
DEUS: (...)
AVÓZINHA: Tens de ter fé, acreditar.
DEUS: Sabes porque gosto de ti? Porque és sempre honesto comigo.
AVÓZINHA: Ainda bem. Mas faz assim. Tu dás o céu a quem se portou bem cá em baixo, certo?
DEUS: Certo.
AVÓZINHA: Então, deves saber o que o sujeito fez em vida!?
DEUS: Claro.
AVÓZINHA: Simples, faz o teu juízo, e decide.
DEUS: Não me ensines o ofício, isto não é fácil, não gosto de cometer injustiças.
AVÓZINHA: Pois, ninguém é perfeito, e se tu nos criaste à tua imagem...
DEUS: Acho que tens razão!
AVÓZINHA: Eu também acho! E já decidiste? Se deixas entrar ou não?
DEUS: Já!
AVÓZINHA: E?
DEUS: Não te digo.
AVÓZINHA: Porquê, estás a vingar-te do que disse?
DEUS: Não, para isso o tempo há de chegar...segredo profissional.
AVÓZINHA: Dar-te-ei a outra face.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:15

Setembro 22 2011

Não há pessoas boas de mais, há é gente má a tirar partido.


Inté

publicado por Avózinha às 22:44

Setembro 20 2011

ilha
(latim insula, -ae)

s. f.

1. Espaço de terra cercado de água por todos os lados.

2. [Portugal: Douro]  Grupo de casas isoladas de outras habitações e cercado de ruas por todos os lados.

3. Pátio cercado de habitações pobres.

 

O dicionário não está (diz o Avózinha) completo, falta:

 

4. Grande buraco cercado de água por todos os lados.

 

Não me lembro de na escola falarem desta última, mas, e apesar de a minha mãe bem me avisar, ás vezes estava distraído, deve me ter escapado.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:28

Setembro 19 2011

Tuga1: Mas afinal vai haver ou não TGV.
Tuga2: Depende!
Tuga1: Depende? Do quê?
Tuga2: Do tempo!
Tuga1: Do tempo?
Tuga2: Sim, há tempo não havia por falta de dinheiro...
Tuga1: Hum...então e agora, em que tempo estamos?
Tuga2: Agora parece que já talvez possa haver.
Tuga1: Isto o tempo...já não é como antigamente, anda todo descontrolado.

 

Inté

publicado por Avózinha às 19:15

Setembro 17 2011

Há dias em que o mundo me pesa tanto nos ombros, outros em que daí podia vir outro tanto, feitas as contas em nenhum deles me apetece perecer, desistir nem pensar. Vergo, luto para não claudicar de vez, doem-me umas mais que outras, já nem sei se resisto apenas por mau perder, se por teimosia, mas a seguir a alguns momentos mais frágeis, de desespero, ranjo os dentes, e uma energia vinda nem de sei donde, toma conta de mim e diz-me para não desistir.
Não, ainda não é hora de jogar a toalha ao chão, afinal de contas o que são umas idas ao tapete comparado com os teus sonhos, nada de desperdiçar tanto empenho e resistência despendida até agora, o suor está pela hora da morte e o meu vale mais que toda a riqueza do universo, sendo assim, tanto investimento não é para jogar fora.
É tudo uma questão de escolhas, e eu, escolho não desistir, vou sim refazer as contas, talvez ainda possa fazer mais ou sobretudo fazer melhor, dai-me só um pouco de tempo, preciso de algum repouso para recuperar o fôlego, refazer a estratégia, sim, porque quando voltar e já que o quero fazer, terei de ser mais e melhor.
Tenho de me realinhar, talvez reinventar-me, talvez reconectar-me com a energia certa, apenas uma certeza, não posso vender a alma nem abdicar de ser uma pessoa um pouco melhor todos dias, pois esse é o único objectivo que só de mim depende, portanto o mais provável de ser alcançado de todos.
Há dias em que não sei se estou preparado, em que duvido se lá chegarei, outros em que me esqueço de que estou mais do que determinado a buscar, porém, mesmo nesses, prossigo, sem a certeza de que vou lá chegar, mas sem dúvidas de que vou tentar.

 

Inté

publicado por Avózinha às 15:39

Setembro 15 2011

Dar valor ás “coisas” quando não as temos não é bom senso, é lógica, a verdadeira sabedoria está em valorizar o que temos, enquanto temos.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:54

Setembro 13 2011

Tuga1: Vítor Constâncio diz que está confiante no resgate à Grécia.
Tuga2: Humm...agora é que é para os Gregos ficarem preocupados!
Tuga1: Porquê?
Tuga2: Porquê? Agente cá já sabe no que dá a confiança dele.

 

Inté

publicado por Avózinha às 19:45

Setembro 11 2011

Lost in my soul
Deep in my heart
There is this shining diamond
Running on a river of gold
Where the strong stream will take us
Together as one
You me and our souls
In a bright blinding light
Will get us on trip
To no were and everywhere
To see the colors of the universe
Let us be blind by love
Let us make a feast
And invite the gods of lust
That are the only ones we can trust
Our love will rule for the next thousand lives
And will emerge stronger every each one
Spreading the true heart beating
Together or apart
As one we will always be


Inté

publicado por Avózinha às 21:57

Setembro 09 2011

Tuga1: Associação Planeamento Familiar diz que o fim da comparticipação da pílula pode aumentar recurso ao aborto.
Tuga2: Pois. Os partidos políticos também já estão a contestar.
Tuga1: Porquê!?
Tuga2: Parece que já não comportam mais, têm as fileiras cheias...

 

Inté

publicado por Avózinha às 20:07

Setembro 08 2011

Identifico-me um pouco com Muammar Khadafi, da barba também só me cresce a pêra e o bigode, o resto é deserto.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:01

Setembro 06 2011

Tuga1: A Moody's cortou o 'rating' da CP e da Refer.
Tuga2: Impressionante! Ainda havia para cortar...


Inté

publicado por Avózinha às 22:36

Setembro 05 2011

Equipa da ASAE fez inspecção surpresa no Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, houve lugar a variadas coimas e apreensões.
Sabe o Avózinha através de fontes privilegiadas, que não revela nem com o suborno mais chorudo, a menos que fosse um Noval Nacional de 1963, porque isso é fabrico dos deuses e ninguém levaria a mal...dizia eu (ele, o Avózinha) que nos autos de coimas e apreensões consta:

 

- um espírito do bem a praticar o mal sem licença para ambos
- uma cartomante, por não ter ar sinistro
- uma vassoura de bruxa sem as medidas regulamentares e mal acondicionada
- espanta espíritos fabricados em material não lavável
- vários sapos que mesmo depois de cozinhados por uma hora estavam rijos que nem cornos
- uma cruz de contrafacção
- várias imagens de Cristo na cruz a pender com a cabeça para o lado errado e vestes com etiqueta Cucci
- uma bruxa sem ostentar verruga no nariz, apesar de um espectacular chapéu (de bruxa) e hálito a cheirar a águas à entrada de uma ETAR
- um Padre a exorcizar uma moça menor de idade..ups!
- um circo de pulgas amestradas sem inspecção da Medicina de Trabalho
- vários feirantes vestidos com roupa posterior aos anos 90, quando é sabido que em certames destes apenas é permitido ostentar vestes com estilo de à pelo menos duas décadas e meia atrás
- várias poções, por não terem o odor característico a mijo de gato
- e por fim, um chocalho...porque sim

 

Ufa!

 

Entretanto a ASAE já emitiu um comunicado informando que, das apreensões, os frascos de poção contra a impotência sexual caíram do jipe aquando do transporte, tendo-se partido em pedaços, razão pela qual não figuram no lote de material apreendido.

 

Inté

publicado por Avózinha às 20:47

Setembro 03 2011

PPP, em Portugal significa Parcerias Público-Privadas, em Bonn, na Alemanha, quer dizer (já com a tradução pois claro) Parquímetros Para Prostitutas, Putas vá, e não pareça mal a ninguém, porque se a minha profissão fosse essa, eu queria ser orgulhosamente chamado de Puta. Chamar Prostituta é (na minha opinião) altamente discriminatório, assim como “vendedoras de sexo” me parece pouco dignificante, já para não falar no aspecto prático de usar o nome certo. Imaginem estes cenários e depois digam se tenho razão:

 

Cenário 1
Alguém: Onde vais?
Avózinha: Às vendedoras do sexo...
Alguém: Vais onde?
Avózinha: É pá, vou comprar sexo!
Alguém: Comprar sexo...?
Avózinha: Ás prostitutas!
Alguém: Hein!?
Avózinha: Sim, vou ás PUTAS!!
Alguém: Aaahhh! Já podias ter dito.

 

Cenário 2
Alguém: Onde vais?
Avózinha: Ás PUTAS!!

 

Além de ser mais simples, «Puta» soa muito melhor, sendo assim o mais apropriado, escrevo pois este texto na esperança de que na EMEL (ou similar) não se lembrem desta ideia de «nuestros germanos» (que grande trocadilho). Enfim, em Bonn, as Putas, com ou sem clientela saem sempre lixadas...com «F» pois claro, num só dia podem não ganhar para pagar o parquímetro que é uma espécie de chulo n.º2.

 

Está visto então, que não só os Alemães já mandam no nosso cantinho, como andam a copiar alguns modelos empresariais. As nossas Parcerias Público-Privadas são um exemplo transposto na exacta medida, apenas muda o core business, porque de resto, por cá é tudo igual, as Putas já toda gente sabe quem é e são sempre as mesmas a pagar...os chulos também sabemos quem são e que saem sempre a ganhar, mas como Putas que somos não nos conseguimos livrar deles.

 

(Fonte: tvi24.iol.pt)

 

Inté

publicado por Avózinha às 20:18

pesquisar
 
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
14
16

18
21
23
24

25
26
27
29
30


mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO