Avózinha (Sim, com acento...)

Janeiro 30 2011

Imaginem um sujeito qualquer de cadeira de rodas, eu não claro porque não preciso, nem quero pensar se tivesse, mas adiante, dizia eu, imaginem e tal, e agora pensem que (são do sexo feminino e) estão no colo dessa pessoa e...ups, desculpem, distraí-me, o assunto é outro. Imaginem então esse indivíduo que circula com auxilio de um veículo com rodas que lhe dá um ar extremamente sexy e irresistível, mas que ninguém gosta de admitir, naturalmente apenas por inveja, esse ser especial necessita de ir viajar de avião.

 

É claro que os outros vulgares seres humanos limitam-se a comprar a passagem de avião e a ir, e vir (diga-se) se for o caso, mas esses são os «outros», pobre gente sem sex appeal nem nada que lhes confira algum estatuto que lhes valha. Excluindo esses «outros», que ninguém se interessa se vão e se não voltam desde que apresentem  o bilhete, fica a nata, os VIP’s (Very Interestting Person) gente de Pedigree (hoje gasto os estrangeirismos todos) que por onde passam despertam sempre a curiosidade de todos.

 

Temos então uma dessas pessoas super interessantes (no sentido de despertar interesse, fantasiem que este texto está a ser relatado pelo ilustre David Attenborough) que apenas quer fazer a sua vida mas tem de ir de avião...calma lá que as coisas não são assim, um espécime deste tipo merece atenção! Primeiro vai lá ao médico e ele que preencha um formulário com as tuas características técnicas, sinais vitais, histórico cardíaco, doenças contagiosas, se a condição física/mental pode suscitar stress nos outros passageiros (ex: cheiro, aparência, conduta), cuidados médicos (ex: oxigénio, medicação), e outras mais.

 

Tirando os indivíduos que precisam de oxigénio e se esquecem de avisar de propósito porque o seu sonho é morrer a 10.000 mts de altitude ás mãos de uma assistente de bordo boa comó milho, não vejo grande problema. Um fedorento qualquer pode ir “animar” o voo com um ataque de fúria (ou cardíaco), dar a sua bufinha se lhe apetecer, desde que não se apresente em cadeira de rodas ou com alguma incapacidade até lhe pode dar uma caganeira que faça parecer o 11 de Setembro uma brincadeira de crianças. Escusa de tomar banho também.

 

Tanta precaução para espetarem com a cadeira de rodas no porão do avião e carregarem o deficiente para o lugar (de castigo) marcado no bilhete, e ai dele se se bufa, se tem vontade de ir ao wc, ou se tem vontade de sair do sítio e espairecer um pouco, QUIETINHO AÍ OUVISTE!? Eu acho muito bem estas medidas, não vá um deficiente qualquer enxovalhar a sua própria classe e denegrir a imagem dos que se dão ao respeito.

 

Pior que ter de andar de cadeira de rodas...só mesmo de avião, menos para os que gostem de andar a ser agarrados por estranhos.

 

Inté


Janeiro 26 2011

Vou errando pelo caminho, mas pelo menos vou a caminho.

Inté

publicado por Avózinha às 23:01

Janeiro 25 2011

Os escravos, os escravos da política, da(s) moda(s), da beleza, da magreza, os escravos da religião, do banco, da(s) droga(s), das férias, do desporto, do exercício físico, do patrão, escravos do carro, da casa, dos móveis, da televisão, dos telefones, da internet, das máquinas de café, dos amigos, da família, do tempo, da(s) aparência(s), de toda a merda e mais alguma...da ambição.

 

Não será possível gostarmos “das coisas”, desfrutar delas em vez de sermos seus miseráveis escravos...e temos mesmo de querer ter todas desmesuradamente? Quantas vidas necessitaríamos para as poder usufruir em pleno no seu conjunto? Acima de tudo será que podemos suportar o encargo que representam, tanto material como até do ponto de vista espiritual!? E valerá mesmo a pena?

 

Já usaram todas as funcionalidades do vosso telemóvel, da televisão, do computador (?), isto só para citar alguns exemplos. Todos queremos ter os nossos luxos, eu também quero, mas não me parece saudável que assim tenha de o ser em relação a todos os aspectos, sobretudo naqueles que nem sequer temos especial apreço ou nem usamos. Até agora o que pude constatar é que isso não me deixou mais feliz e cada vez mais procuro não me ralar com esse tipo de coisas, sobretudo porque não sou rico e alguns dos prazeres deste mundo material custam dinheiro, assim, poderei canalizar o que gastaria em itens que não tiro partido, noutros que me trazem felicidade.

 

Quero afirmar «amanhã vou jantar com uns amigos» e não «amanhã tenho de ir jantar com uns amigos», em primeiro lugar ter prazer na sua companhia, nunca só porque o “programa de festas” é fenomenal e para poder contar a todos onde estive, quão importante era em termos de status social quem lá estava, e o que fiz. Não quero parecer anti-social, mas só quero estar com quem quer estar e compreenda o prazer da partilha da companhia de cada um, e se não gostarem de mim podem ir ser felizes para outro lado. Soa rude (?), mas haverá momentos para estar com todos, mais com uns do que com outros.

 

Até posso só estar a falar de mim, ou dos “outros” também, ou de ninguém, certo certo é que «as aparências não enganam» «só enganam» e como eu não gosto de enganar nem ser enganado.... O importante é não sermos fundamentalistas, em nada, mas não me podem culpar por querer me rodear de mais felicidade, pelo menos tentar, estar mais ligado e despender mais tempo, dinheiro e energia no que verdadeiramente interessa, material e espiritual. Em suma, como uma pessoa espectacular que eu conheço costuma dizer «Podemos imaginar um ideal do que nos faz feliz, mas o que nos faz feliz, é simplesmente...o que nos faz feliz».

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:56

Janeiro 24 2011

Tuga1: No jornal fala de um fulano no Brasil que de dia trabalha na prefeitura, ao fim do dia treina porque é árbitro de futebol, e à noite vai dançar e transforma-se em Laleska.
Tuga2: Árbitro de futebol!? Não arranja nada mais honrado!!??

 

Inté

publicado por Avózinha às 20:27

Janeiro 19 2011

Hoje vou falar de Amantes e do Acordo Ortográfico, duas coisas que eu gostava que de alguma forma fossem vistas de outra forma, perspectiva, e por aí.

 

O Acordo Ortográfico dever-se-ia chamar Acordo Pornográfico, tais são as obscenidades praticadas à Língua Portuguesa, coisa de adultos e que se devia manter longe das crianças, sim porque a pornografia é coisa só para gente crescida se entreter, os poucos que vêm, pelo menos não conheço ninguém que diga que vê. Possivelmente não voltarei a falar sobre este tema, querem que eu escreva com o Acordo pois farei o meu melhor, já li documentos de outros tempos e a escrita também me pareceu estranha. Há coisas piores!

 

No dicionário «amante» vem descrito desta forma:
amante
adj. 2 gén.
1. Que ama alguém; afectuoso!afetuoso.
2. Que está apaixonado por alguma coisa.
s. 2 gén.
3. Pessoa que ama alguém.
4. Namorado ou namorada.
5. Pessoa que mantém relações ilícitas com pessoa de outro sexo.

 

A Língua Portuguesa não é traiçoeira, é má, mesquinha, bígama, carrasco dos amantes. Há coisa pior que desvirtuar algo tão belo que dizer «Pessoa que mantém relações ilícitas com pessoa de outro sexo», caramba, quem adicionou este significado deve ser (co-)autor de algum Acordo Ortográfico do passado. É possível mudar isto (?) e impedir que se profira frases como «fulana tal é casada e tem um amante» ou «fulano tal é casado e tem um amante», arranjem outro nome para classificar esses e deixem os verdadeiros amantes em paz.

 

Talvez por isso os verdadeiros amantes estejam a desaparecer, ou (talvez) nos estejamos a esquecer do valor que tem e já não nos preocupamos tanto em ir atrás dessa sorte. Eu quero ser um amante e ter uma amante, só uma pois claro porque senão deixa de o ser, será outra coisa, quero amar alguém na reciprocidade, só isso.

 

Quando o corpo e a alma de duas pessoas se entrelaçam como os dedos das mãos, namoram (sempre), apaixonam (sempre), crescem em conjunto, aprendem a viver e a conhecer o que cada um vai tendo para dar, entendem as mudanças que a vida vai trazendo entre si, alcançam as diferenças que os diferenciam e as tornam parte do seu todo, buscam o prazer e os prazeres e os partilham e desfrutam...então são Amantes na perfeição. Eu não sou perfeito, mas quero ser e ter uma Amante.

 

Inté

publicado por Avózinha às 19:49

Janeiro 17 2011

O Amor é como o GPS temos de acreditar que nos está a levar para o sítio certo.


Inté

publicado por Avózinha às 23:20

Janeiro 16 2011

Tuga1: Há tempos atrás o Sócrates disse que «Está para nascer um primeiro-ministro que tenha feito melhor no défice» agora aparece o Cavaco e diz «Para serem mais honestos do que eu têm de nascer duas vezes»...
Tuga2: (...)
Tuga1: Estamos feitos, como uma taxa de natalidade como a nossa nunca mais lá vamos!

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:31

Janeiro 13 2011

A minha vida é verdadeira, não aceita mentiras.

 

Inté

publicado por Avózinha às 19:52

Janeiro 11 2011

Não é a primeira vez que faço referência ao «The Doors» neste vosso espaço de deslumbre, apesar de não admitirem eu bem sei que após cá estarem uma primeira vez as vossas vidas nunca mais serão as mesmas e de todo voltarão a ser quem eram antes de “experienciarem o Avózinha”, para melhor pois claro, a minha banda de eleição (como sabem) também é assim, depois de se ouvir nunca mais há volta atrás. Bem sei que nem todos gostam «dos Doors» é uma questão de sintonia, quem está sintonizado...

 

Que me desculpem a sobranceria do parágrafo anterior mas se umas vezes me desvalorizo, outras estou numa de auto-elogio exacerbado, algures entre este bi-polarismo deve de estar a verdade. De facto o legado dos «The Doors» é algo intemporal que me fascina e faz vibrar, não conheço nada parecido sequer, são simplesmente únicos e a sua original sonoridade não engana, não dá para confundir com absolutamente mais nada, e é curtir curtir curtir.

 

Hoje vou partilhar convosco uma música que se não conhecem (não acredito) vão passar a conhecer, é muito mais que «sex drugs and rock and roll», cada um que a oiça como puder, lembrem-se, é uma questão de sintonia. Coloco também a letra da música, apesar de Jim Morrison a ter interpretado de tantas maneiras diferentes esta é uma delas.

 

Som alto, e deixem-se levar.

 

Yeah, right.

Did you hear about my baby? She come around,
She come round here, her head to the ground?
Come round here just about midnight,
She makes me feel so good, make me feel all right.

She come round my street, now
She come to my house
Knock upon my door
Climbing up my stairs--one, two, three
Come up on baby
Here she is in my room, oh boy
Hey what's your name?
How old are you?
Where'd you go to school?

Well, now that we know each other a little bit better,
Why don't you come over here and make me feel all right!

g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a

You were my queen and I was your fool,
Riding home after school.
You took me home
To your house.
Your father's at work,
Your mama's out shopping around.
Check me into your room.
Show me your thing.
Why'd you do it baby?

Getting softer--slow it down, softer

Get it down
Now you show me your thing.
Now why dont you wrap your lips around my cock baby,
Wrap your legs around my neck,
Wrap your arms around my feet,
Wrap your hair around my skin.
I'm gonna eat you honey
I'm gonna heat you baby
I'm gonna huh--all right, ok, yeah.

It's getting harder--It's getting faster to
It's getting too darn fast
It's getting harder
It gona rip you in two

Come on, now, let's get it on.
Too late, too late, too late, too late, too late,
Make me feel all right!

g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a
g-l-o-r-i-a

Keep the whole thing going, baby!

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:09

Janeiro 10 2011

É provável que a grande maioria de vós conheça, ou pelo menos já tenha ouvido falar, no famoso calendário que é produzido anualmente para a Pirelli, a conhecida marca de pneus. Ora, é sabido que as moças que posam para as objectivas desta produção artística, pneu é coisa que não têm e algumas pouco mais que a jante se lhes é detectável por isso haja quem questione a relação de uma coisa com a outra, menos eu, para mim oficina onde não existe o dito guia Pirelli, ou semelhante, deveria receber ordem compulsiva de fecho.

 

O que eu não sabia é que uma outra marca italiana segue o exemplo da Pirelli, usando também um calendário com moças em trajes/poses sexy’s para promover os seus produtos, é a Cofani Funebri, uma funerária que se preza em promover os seus caixões desta forma criativa. E ao que parece com sucesso, se o não fosse, a iniciativa não se teria repetido já há alguns anos a esta parte desde a primeira experiência.

 

Se querem saber a minha opinião, sincera, como sempre, faz todo o sentido e não podia estar mais de acordo. Como queriam que se promovessem caixões (?) com imagens de cadáveres lá dentro e gente a chorar à volta (?) ou um cenário no cemitério com o caixão a descer à cova (?) sinceramente não vejo outra forma, aliás, acho mesmo que se não fosse com estas fotos de moças não existiria outra forma de publicitar...as mulheres são assim, alegram qualquer circunstância.

 

Cofani Funibri

 

Slogans é coisa que nem me atrevo a fazer até porque o produto vende-se por si e a imagem vale mais que mil palavras, além disso é melhor abster-me pois só me ocorrem parvoíces...ok...só um «são de morrer e enterrar», prontos, já disse. Tinha de dizer, afinal este espaço existe para isso mesmo, para libertar-me de alguns pensamentos que se me vão acumulando, é inevitável, como a morte.

 

(Fonte: sol.sapo.pt)

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:16

Janeiro 09 2011

Tuga1: O secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, disse que o BPN é uma montanha de fraudes.
Tuga2: Bem, decidam-se, aquilo afinal é uma montanha ou um enorme buraco...!?

 

Inté

publicado por Avózinha às 12:29

Janeiro 06 2011

As Beatas e actrizes porno são quem mais chama por Deus, na vida devemos aprender a compreender as razões de cada um.


Inté

publicado por Avózinha às 23:33

Janeiro 05 2011

Tuga1: A ACAPOR apresentou uma denuncia sobre 1000 IP’s portugueses que alegadamente terão feito downloads ilegais.
Tuga2: Ai sim? Que cena...
Tuga1: O Partido Pirata Português já disse que vai reagir legalmente contra.
Tuga2: A sério? Qual deles?

 

ACAPOR - Associação do Comércio Audiovisual, de Obras Culturais e de Entretenimento de Portugal
Movimento Partido Pirata Português


Inté

publicado por Avózinha às 23:30

Janeiro 03 2011

Como já devem ter reparado, o visual deste vosso espaço (mais uma vez) mudou, deu-me a preguiça e entre pôr-me a escrever alguma coisa e entreter-me a mudar o Avózinha de aspecto, decidi-me pela última. Sempre dá para descontrair um pouco, é só clicar no rato e muda «prácoli» cor «pracolá», além do mais, estamos a iniciar um novo ano e assim sendo nada como refrescar o espaço para desenjoar, talvez assim os disparates passem despercebidos.

 

Terminadas as festividades, uma verdadeira ode trocista à fome que existe no mundo, tanto é o exagero de comida e iguarias que vão directo para o lixo pois já não há estômago que resista, é tempo de sossegar um pouco.

 

A rapaziada está mais tranquila, já elas, começam agora num verdadeiro muro de lamentações junto ás balanças, amaldiçoando a gula e fazendo juras de «nunca mais» além de promessas de dietas severas numa espécie  de auto-flagelação por tanto “pecado” cometido. «Isto perde-se tudo num mês, vou fazer dieta e exercício todos os dias...eu consigo vão ver» dizem elas, claro que lá para Março medidas drásticas (de austeridade como se usa agora) têm de ser tomadas, pois vem aí o bom tempo, novas colecções, e a praia pois claro.

 

O último parágrafo bem podia descrever a governação do  país nas últimas décadas, uma consoada pegada de exageros que depois logo se vê...talvez por isso por cá se diga que o Natal é quando o Homem quiser. Mas não comecem já a apelidar o Avózinha «de Medina Carreira dos blogues» eu também gosto de fazer uns exageros nesta altura...mas é mesmo preciso tanto? Há, por exemplo, doces que ficam intactos e vão direitinhos para o contentor...dá dó.

 

Mas passou-se bem sim senhor, e calhou bem os dias 25 e 1 serem Sábado, deu para «abobrar» no Domingo e retemperar energia e agora iniciar melhor a primeira semana do ano. Vamos ser positivos, nada de sofrer antecipadamente, elas, apenas estão mais fofinhas do que estavam, e o 2011 há-de se passar, um dia de cada vez, vai ser uma luta do caraças, pois vai, mas haveremos de recuperar a silhueta. Nem que seja o FMI a fazer-nos uma Lipo-aspiração.

 

FMI quer dizer:
Fomos Maus Iagoravãonosfoderàgrandeeàfrancesaqueèparanãotermosamaniadasgrandezas

 

Inté


pesquisar
 
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
14
15

18
20
21
22

23
27
28
29

31


mais sobre mim
subscrever feeds
blogs SAPO