Avózinha (Sim, com acento...)

Janeiro 19 2009

Que me perdoem o vocabulário, mas entre alguma irritação e algum espanto sempre julguei que ir ás putas (julgo que ser a única forma elegante de dizer que vamos pagar os serviços sexuais de uma profissional) era como ir ás compras, bastaria ter dinheiro ou ter crédito. Ao passar pelos classificados de um jornal fiquei elucidado, e na verdade não é bem assim, trata-se de um meio altamente discriminatório e não é para qualquer um.

 

Após leitura atenta à secção dos anúncios “RELAX” fiquei tentado a experimentar, será que abrem uma excepção para uma besta como eu!? É que entre outros requísitos parece que só aceitam «homens educados de alto nível» ou «apartamento de luxo a cavalheiro de nível», li coisas como «uma classe à parte», «máxima descrição e requinte», «culta e discreta», «convívio de nível» ora se isto não dá vontade de lá ir...mais nada dá.

 

Houve no entanto algumas descrições repetidas que me intrigaram, «completa» ou «completíssima»...como assim? Será no sentido de ter peças a mais na carroçaria e um gajo vai lá e encontra uma chave inglesa “perdida”, ou será para descansar a clientela especificando que não lhe falta nada, tipo garantir que não lhe falta um bracinho, uma perninha ou sabe-se lá o quê.

 

Realmente falta-me nível e não sou muito culto, na verdade nunca tive um estímulo que me fizesse procurar valores mais altos, mas uma página de jornal mudou isso tudo. Deve ser por isso que dizem que ler enriquece o espírito.

 

Inté

publicado por Avózinha às 20:38

Ó que belo incentivo para os estudantes universitarios que andam atrás dos livros com tanto sacrificio!
Isto deveria ser divulgado porque se resultou contigo, quem sabe se não resultaria com eles?

(Cá para mim, acho que são outras motivações que levam os homens a visitar as trabalhadoras do sexo!)
mc a 20 de Janeiro de 2009 às 21:49

pesquisar
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

16
17

21
23
24

30
31


mais sobre mim
blogs SAPO