Avózinha (Sim, com acento...)

Dezembro 29 2008

Efectivamente a sociedade está doente e são tantas as maleitas que sempre que o assunto me faltar, é só escolher uma e já está. A droga é um dos grandes problemas que nos afecta a todos, directa ou indirectamente todos somos atingidos, mesmo por vezes sem dar por isso.

 

É claro que a droga em sim não constitui ameça mas sim o seu consumo. Tenho dúvidas se já alguma vez tentou acabar verdadeiramente com o problema, ainda não se acabou com o crédito mal parado, nem com os cartões de crédito, etc, por isso...devem estar a perguntar o que raio tem uma coisa a ver com outra.

 

Não é óbvio? Vivemos todos com a ideia tola que somos iguais e temos os mesmos direitos, e tal, enfim, uns tótós que nunca mais acaba e depois estamos sempre a levar com a porta na cara. Ainda niguém percebeu (a maioria pelo menos) que nem tudo é para toda a gente, ainda á pouco tempo o bastonário da ordem dos advogados admitiu que quem tem dinheiro pode se defender perante a justiça, quem não tem...

 

Pois é meus caros, sempre ouvi dizer «Quem não tem dinheiro não tem vícios», por todos os motivos e mais algum, este deveria ser o principal pelo qual os tesos deveriam estar sossegados. Como a malta abastada é uma minoria reduziríamos o consumo a uma escala impressionante, mas o povo há-de sempre querer imitar o rico.

 

Está tudo parvo? O consumo de droga é como fazer muitos créditos, quem não tem dinheiro não se deve meter nisso.
Já viram o bem estar e a euforia que as drogas proporcionam...agradeço ás professoras de matemática, sabe deus o que sofreram comigo, por me terem ensinado a fazer contas, de outra forma nesta altura seria mais um tóxicodependente desgraçamente sem eira nem beira mas a tempo fiz as contas e deixei-me ficar sossegado.

 

Quem me dera ter nascido rico para disfrutar das maravilhas que as drogas proporcionam, em alturas como estas o meu transe ineterrupto não permitira ver a m* toda que afunda a sociedade ao poucos.

 

Inté

publicado por Avózinha às 12:43

Ehhhhhhh páaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Hummmmmmmmmmmmm!!!! Nem sei que dizer...

Pareces revoltado com o pessoal que tem dinheiro... aquele que estoira as fortunas da familia na droga...
Hummmmmmm....
Oh pá...eu agora não me importava de ser um arrumador de carros daqueles bué "agarrados"...
Para além de me estar a borrifar para a sociedade, tinha borlas de metadona e de seringas e outras cenas...e ganhava mais que como professora!
Depois de ter lido o teu artigo e antes de o comentar, passei ali ao pé do estádio do portimonense e perguntei a um ex colega de escola(bem agarrado e que arruma uns carritos!):
- Ouve lá,ó Pedro! Tenho que comentar o Blog do Avózinha e preciso que me ajudes...
- Então bacana,tás porreira? Há bué que não te via!
-Pois é, Pedro! Trabalho em Lisboa!
- yá...yá...curto bué Lisboa!...Tu trabalhas bué, bacana!
(esta parte irritou-me...mas adiante!)
-Pedro,quanto é que tu ganhas a arrumar carros?
-Xiiiiiiiiiiiiiiii...ó bacana,nem imaginas...isto é bué fixe e dá pra descansar bué!...
-Sim...mas num dia mau...quanto?
- yá...deixa ver...p'aí uns 150 euros...yá!

150 euros??????????? 150x30=4500...Em dias maus...
Grande porra,pensei eu...
Será que aceitam arrumadores que não sejam agarrados??? E pra onde envio o curriculo???
Ahhhhhh...o Pedro manda cumprimentos à Avózinha sem deixar de acrescentar:
- xiiiiiiiiiiii...ó bacana, a tua avó já deve tar bué velha!!!!!!!

Fui incapaz de responder...é que ele conhecia a minha avó e se ela fosse viva teria uns 120 anos... Mas claro que o tempo não passa para ele...tem uma noção mais abrangente!!!!!!!!!1
Viva a moca!

See you!!!!!!!!


Indiavera a 30 de Dezembro de 2008 às 02:02

pesquisar
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

19

21
25
27

28
31


mais sobre mim
blogs SAPO