Avózinha (Sim, com acento...)

Abril 26 2011

O casamento entre homossexuais é uma realidade no nosso país, alguém me sabe dizer o que se segue? Alguns estarão já a pensar, e passo a apresentar de seguida as várias respostas possíveis, claro, como sempre baseadas numa apurada investigação levada a cabo por este vosso servo:

 

- É o fim do mundo.
- A seguir? A seguir vem a legalização da adopção de crianças por parte destes casais.
- Vamos descobrir petróleo, gás e diamantes em todo o Portugal continental, Açores e Madeira.
- As depressões nervosas causadas pelo desgaste da vida após o papel assinado.
- As consultas de aconselhamento conjugal.

 

Levei para aí uns 30 segundos a fazer tal exercício, de pensar no que vocês estariam a imaginar, e a imaginar o que vocês estariam a pensar. Acho que foi isto mais ou menos que aconteceu, ás vezes tenho momentos estranhos em que não tenho bem a certeza se desmaiei, adormeci, ou se estou bem acordado e em pleno das minhas faculdades mentais. Isto começou a acontecer-me desde um dia que dei uma forte pancada com a cabeça e depois fui beber um café e um pastel de nata, o café tinha um gosto estranho, ou talvez o pastel não fosse fresco, a partir daí...

 

Gostava de saber quem é que se lembrou daquela de descobrir petróleo e afins. Então não sabem que o nosso pedaço de Ibéria anda sempre em contra-ciclo com o resto do mundo. Claro que existe isso tudo, e muito mais, mas vamos pensar em explorar quando a economia global se virar totalmente para outro tipo de combustíveis. Será como o ouro que temos no Banco de Portugal, é melhor guardarmos para tempos de crise, como estamos em crise à décadas (para não dizer séculos) é difícil decidir o timming certo. Valha-nos os diamantes, porque, «diamonds are forever».

 

Bom, é evidente que as respostas anteriores são apenas uma distracção, o que se segue, já se seguiu, são os divórcios, pois claro. Não sei quantos casamentos gays já se fizeram no total, mas divórcios oficiais, vão dois, segundo uma notícia recente. Ora, não faço ideia se este é um número baixo ou alto em termos percentuais, mas tendo em conta que estas uniões não podem ter muito tempo...a coisa está a “compor-se”.

 

O que vem provar, para quem ainda duvidasse, que a malta que prefere literalmente o seu semelhante para juntar os trapinhos, são perfeitamente normais e em pouco ou nada diferem de quem insiste na ilusão da importância de assinar um papel para oficializar o amor que os une. Enfim, o trânsito em Inglaterra não circula em sentido contrário como parece, circula-se pela esquerda ao contrário de cá, pela direita, no entanto não interessa por que lado é...os acidentes vão acontecendo, uns batem por trás, outros pela frente, de lado, oxalá a vida continue e ninguém se aleije.

 

Inté

publicado por Avózinha às 22:37

"O macaco também cai da árvore." - Provérbio Japonês
vulgaridadesquemsabe a 27 de Abril de 2011 às 10:53

O casamento entre homosexuais é igual aos outros casamentos. Para prová-lo aí estão os divórcios!
mc a 27 de Abril de 2011 às 23:02

Bem, igual, igual não será. Mas com a ajuda duns acessoriozinhos...
Xico Esperto a 1 de Maio de 2011 às 23:31

Na minha filosofia de vida casamento é entre um homem e uma mulher, jamais se poderá chamar casamento a essa união , mas eles lá insistem em dizer que sim, é contra natura
ISA a 29 de Abril de 2011 às 17:31

pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
15
16

18
19
20
21
23

24
25
27
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO