Avózinha (Sim, com acento...)

Janeiro 30 2011

Imaginem um sujeito qualquer de cadeira de rodas, eu não claro porque não preciso, nem quero pensar se tivesse, mas adiante, dizia eu, imaginem e tal, e agora pensem que (são do sexo feminino e) estão no colo dessa pessoa e...ups, desculpem, distraí-me, o assunto é outro. Imaginem então esse indivíduo que circula com auxilio de um veículo com rodas que lhe dá um ar extremamente sexy e irresistível, mas que ninguém gosta de admitir, naturalmente apenas por inveja, esse ser especial necessita de ir viajar de avião.

 

É claro que os outros vulgares seres humanos limitam-se a comprar a passagem de avião e a ir, e vir (diga-se) se for o caso, mas esses são os «outros», pobre gente sem sex appeal nem nada que lhes confira algum estatuto que lhes valha. Excluindo esses «outros», que ninguém se interessa se vão e se não voltam desde que apresentem  o bilhete, fica a nata, os VIP’s (Very Interestting Person) gente de Pedigree (hoje gasto os estrangeirismos todos) que por onde passam despertam sempre a curiosidade de todos.

 

Temos então uma dessas pessoas super interessantes (no sentido de despertar interesse, fantasiem que este texto está a ser relatado pelo ilustre David Attenborough) que apenas quer fazer a sua vida mas tem de ir de avião...calma lá que as coisas não são assim, um espécime deste tipo merece atenção! Primeiro vai lá ao médico e ele que preencha um formulário com as tuas características técnicas, sinais vitais, histórico cardíaco, doenças contagiosas, se a condição física/mental pode suscitar stress nos outros passageiros (ex: cheiro, aparência, conduta), cuidados médicos (ex: oxigénio, medicação), e outras mais.

 

Tirando os indivíduos que precisam de oxigénio e se esquecem de avisar de propósito porque o seu sonho é morrer a 10.000 mts de altitude ás mãos de uma assistente de bordo boa comó milho, não vejo grande problema. Um fedorento qualquer pode ir “animar” o voo com um ataque de fúria (ou cardíaco), dar a sua bufinha se lhe apetecer, desde que não se apresente em cadeira de rodas ou com alguma incapacidade até lhe pode dar uma caganeira que faça parecer o 11 de Setembro uma brincadeira de crianças. Escusa de tomar banho também.

 

Tanta precaução para espetarem com a cadeira de rodas no porão do avião e carregarem o deficiente para o lugar (de castigo) marcado no bilhete, e ai dele se se bufa, se tem vontade de ir ao wc, ou se tem vontade de sair do sítio e espairecer um pouco, QUIETINHO AÍ OUVISTE!? Eu acho muito bem estas medidas, não vá um deficiente qualquer enxovalhar a sua própria classe e denegrir a imagem dos que se dão ao respeito.

 

Pior que ter de andar de cadeira de rodas...só mesmo de avião, menos para os que gostem de andar a ser agarrados por estranhos.

 

Inté

publicado por Avózinha às 23:33

A quem temos de bater?
perdida a 31 de Janeiro de 2011 às 18:45

Se fosse na minha terra saia algo do genero: QUIETINHO AÍ OUVISTES ??' provavelmente seguiria um palavrão mas isso tambem não interessa...(tambem já estava a imaginar)
vulgaridadesquemsabe a 1 de Fevereiro de 2011 às 17:10

pesquisar
 
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
14
15

18
20
21
22

23
27
28
29

31


mais sobre mim
blogs SAPO